A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Cáritas Brasileira lançaram no domingo de Páscoa, 12 de abril deste ano, a campanha “É Tempo de Cuidar”, uma ação solidária emergencial que integra e estimula a realização, em todas as 277 circunscrições eclesiásticas da Igreja católica no país (arqui/dioceses, prelazias, eparquia e administração apostólica), de iniciativas de apoio material, emocional e religioso aos afetados pelo avanço do Coronavírus no país.

Segundo o bispo de Roraima, dom Mário Antônio da Silva, segundo vice-presidente da CNBB e também presidente da Cáritas Brasileira, trata-se de uma iniciativa para que toda a Igreja e cada um de nós ampliemos, neste tempo de pandemia, a solidariedade. O bispo explicou que esta ação solidária é um prolongamento e ampliação da Campanha da Fraternidade deste ano, cujo tema é “Fraternidade e Vida: Dom e Compromisso” e o lema, extraído da parábola do Bom Samaritano (Lc 10, 33-34), é :”Viu, sentiu Compaixão e Cuidou dele”.

Dom Mário Antônio, bispo de Roraima, vice-presidente da CNBB e presidente da Cáritas Brasileira. Foto: Portal A12

Dom Mário explica que as ações, já em curso em nossas dioceses, paróquias e comunidades, são incentivadas pela ação emergencial. O foco do trabalho, reforçou, são inciativas voltadas para responder às necessidades das famílias brasileiras, especialmente das que vivem em moradias precárias, das pessoas em situação de rua, dos migrantes e refugiados. “A campanha quer prestar um serviço de auxílio material, emocional, humano e espiritual ao povo brasileiro que está sofrendo os impactos do avanço do Coronavírus”, disse em referência às três dimensões da campanha.

“A ação solidária emergencial une os corações para que possamos cuidar da vida e amar o próximo. Cuidemo-nos, cuidemos uns dos outros, cuidemos dos mais necessitados”, disse. A Caridade, lembrou dom Mário, é um dos quatro pilares das Diretrizes Gerais da Ação da Igreja no Brasil (2019-2023). Veja, abaixo, algumas experiências realizadas na Igreja no Brasil em cada um dos três eixos (materiais, emocionais e religiosos):

Cuidados materiais

Produção de 10 mil máscaras para doação

Diversas paróquias da diocese de Santa Cruz do Sul (RS) estão se envolvendo em campanhas de arrecadação de alimentos e produtos de higiene e limpeza em apoio às famílias. Em todo o Rio Grande do Sul, muitas das 18 arqui/dioceses têm realizado ações de apoio às instituições e às famílias em vulnerabilidade em virtude da quarentena pela Covid-19. Na diocese de Santa Cruz do Sul, uma das ações foi assumida pelo Setor de Assistência Social da Mitra Diocesana.

A equipe diocesana, com o apoio de dom Aloísio Dilli, bispo diocesano, encaminhou a confecção de 10 mil máscaras para serem distribuídas nos hospitais, casas geriátricas, casas de atendimentos a menores e para a comunidade em geral. A diocese comprou o tecido, o elástico e a linha e muitas pessoas se voluntariaram para confeccioná-las. Até o momento, a estimativa é que já foram distribuídas cerca de seis mil máscaras.

Padre Roque Hammes, coordenador de pastoral, explica que a iniciativa foi pensada em virtude da falta de máscaras para enfrentar a pandemia. “Simplesmente não havia máscaras no mercado, assim como também não havia álcool gel. Já que temos os projetos alternativos que funcionam nas periferias urbanas, contamos com a colaboração destes grupos que trabalham com corte e costura para iniciar a confecção. Depois, outras pessoas se dispuseram a ajudar no trabalho”, destaca padre Roque. Segundo ele, a ideia inicial era confeccionar máscaras para hospitais, casas geriátricas e famílias atendidas pelos projetos alternativos. Depois se ampliou também para casas de acolhida a menores (Coopame).

Cuidados emocionais

Plantão psicológico gratuito por telefone

Profissionais em plantão psicológico para atendimento gratuito.

A Cáritas Diocesana de Caicó, no Rio Grande do Norte, está oferecendo atendimento psicológico gratuito por meio de ligações telefônicas e videochamadas. A iniciativa, que faz parte da campanha “É tempo de cuidar” promovida pela CNBB e Cáritas Brasileira, completa um mês nesta quarta (6) com a marca de mais de 70 pessoas beneficiadas, inclusive de outros Estados como Paraíba e Minas Gerais.

O plantão psicológico funciona de segunda a sexta das 14h às 17h e nos sábados das 8h às 11h. Por meio do número (84) 99687.0022, os interessados são acolhidos por psicólogos voluntários. Ao todo são oito profissionais disponíveis para atendimento.

“Toda a estrutura física, incluindo telefone e internet, é oferecida pela Cáritas e pela Diocese de Caicó. Como Igreja estamos muito preocupados com a saúde mental das pessoas neste tempo de pandemia que nos obriga a viver em isolamento social”, afirma o coordenador da Cáritas Diocesana de Caicó, Carlos Martins.

“As pessoas chegam a esperar dois anos para serem atendidas por um psicólogo. É por isso que a Cáritas, junto com a diocese, vem atuando forte nessa área e não poderia deixar de dar uma atenção especial neste momento em que percebemos o aumento de casos de pânico gerados pela ansiedade”, conta Martins.

Atendimento psicológico para trabalhadores da saúde

Na Arquidiocese de Belo Horizonte (MG), o Núcleo de Acolhida e Articulação da Solidariedade Paroquial (Naasp) da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem – Santuário Arquidiocesano de Adoração Perpétua mobilizou um grupo de psicólogos e psicanalisas para oferecer, gratuitamente, atendimentos on-line aos profissionais da área da saúde, neste tempo de pandemia da Covid-19. O objetivo é cuidar da saúde mental das pessoas que estão “na linha de frente” no combate à pandemia.

O pároco e reitor do Santuário, padre Marcelo Silva, que também é psicólogo, está entre os especialistas que colocarão seus conhecimentos a serviço do bem estar de quem sofre com diferentes transtornos, a exemplo da depressão, das crises de ansiedade e tantos outros males relacionados à saúde mental, que se agravam neste tempo de pandemia, marcado pelas incertezas.

Padre Marcelo Silva, em mensagem, agradeceu a cada voluntário que se prontificou a ajudar e pediu para que outros profissionais se unam aos que agora integram a iniciativa Solidariedade em Rede. O objetivo é oferecer para um grupo cada vez maior de pessoas a possibilidade de um acompanhamento especializado na área da saúde mental. Para agendar as consultas on-line, o contato de WhatsApp é: (31) 98420-1204. Os atendimentos serão via WhatsApp ou Skype.

Cuidados religiosos

Conforto espiritual a moradores de prédios na Tijuca

O Santuário Basílica de São Sebastião, dos Frades Capuchinhos, na Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro, encontrou um novo meio de levar conforto espiritual aos seus fiéis durante a pandemia do coronavírus e ficar mais perto deles. Desde meados de março, sempre ao meio-dia, os religiosos ocupam a sacada do templo, na rua Haddock Lobo, para fazer a Oração do Ângelus, que é acompanhada das janelas, por moradores de prédios vizinhos.

As pessoas que moram mais distantes podem acompanhar a transmissão ao vivo pela internet, por meio da página do santuário no Facebook ou pelo grupo de Whatsapp (para ser adicionado basta ligar para 98247-2737).

“Percebemos que precisávamos atingir os fiéis e não sabíamos como. Vimos então que tínhamos uma vizinhança, que foi nosso primeiro alvo, e apareceu essa ideia (da oração na sacada)”, explicou o frade Jorge Luiz de Oliveira, pároco e reitor do santuário.

O religioso contou que, inicialmente, não fazia ideia de como a novidade ia ser recebida pela vizinhança e todos os cuidados foram tomados para não incomodar quem não tivesse interesse em acompanhar, seja por não ser católico ou por outra razão qualquer. Mais de um mês depois, o pároco da igreja dos Capuchinhos garante que a novidade foi aprovada. Mas, foram necessárias algumas adaptações.

A oração do meio-dia tem sido um alento para a aposentada Maria das Graças Campos Tavares, de 65 anos, que desde 10 de março não vai à igreja, apesar de morar perto, por causa do isolamento social. Antes da pandemia, a missa das 7h era um programa quase que diário para a fiel. A moradora da rua Haddock Lobo está entre os que aprovaram a iniciativa dos frades capuchinhos.

Na paróquia Jesus Mestre da arquidiocese de Curitiba é possível acompanhar missas todos os dias, momentos de oração do terço com a participação do pároco, vigário e dos paroquianos (lives em dupla), celebrações de agradecimento, momentos com entrevistas sobre as ações que a igreja está fazendo neste tempo de pandemia, terço da Misericórdia, etc., por meio de lives no Instagram, da paróquia universitária da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR)”.

A Igreja em Santa Catarina, diante da gravidade da pandemia da Covid-19, tem refletido com todo o Povo de Deus em território catarinense sobre a necessidade de um olhar especial à caridade nos tempos difíceis que nos encontramos. Desde a indicação do distanciamento social ao cuidado com os mais empobrecidos, as dez dioceses do Regional Sul 4 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), com zelo pastoral, vem reafirmando o compromisso de promoção do bem comum e a proteção da vida.

Muitas ações e campanhas já existem em todas as regiões de Santa Catarina. O grande objetivo desta Ação Solidária Emergencial é o mapeamento das reais necessidades locais e a visibilidade destas atividades. Pensando nisso, foi iniciado hoje no portal da CNBB Sul 4 e da Cáritas SC uma série de reportagens intitulada de ‘Igreja Solidária: boas iniciativas da Igreja Católica em Santa Catarina’. Com a colaboração de comunicadores e das assessorias de imprensa e comunicação das dioceses do Regional, queremos mostrar para vocês os rostos e iniciativas de pessoas que não deixam a solidariedade adormecer.

Saiba mais sobre as ações do projeto Igreja Solidária em Santa Catarina aqui.

Com informações dos Regionais Sul 3, Sul 4 e Nordeste 2